Publicidade Sicredi
Ícone Notícia Notícias
Tênis
Adelson Weyh, o boleiro que virou professor

Adelson Weyh, o boleiro que virou professor

09/06/2020
Adelson Weyh, 36 anos, é um professor de tênis apaixonado pelo esporte. Sua história com o tênis teve início na sua adolescência, sendo que sua iniciação no esporte foi como boleiro, arrumador de quadras e serviços gerais, e, mais tarde passou a ser técnico, ambos no Yara Country Clube. Ele é formado no curso de Educação Física - Licenciatura / Bacharelado. Para aprimorar suas técnicas, Weyh fez vários cursos em nível estadual e nacional. Incentivar a prática esportiva e passar adiante a paixão pelo tênis são missões do professor Weyh.
Há quase dez anos Adelson se dedica exclusivamente ao tênis no Yara Country Clube, onde atende mais de 100 alunos. Desse total, ele orienta mais de 30 crianças/adolescentes com idade entre seis a 16 anos nas escolinhas do clube. Segundo ele, durante as aulas são ensinadas, além das técnicas, trabalho em equipe, controle emocional, concentração, disciplina, respeito ao próximo, valores materiais, responsabilidade, sociabilidade e ética. A sua rotina de treinos é de segunda a sexta-feira, das 8h às 22h. “Gosto muito do que faço e sou apaixonado por esse esporte”, comenta.
GERAÇÕES - Em 2011, Weyh iniciou trabalho da primeira geração com 18 adolescentes, sendo que três atletas disputam torneios paranaenses e representam Toledo nos jogos Abertos do Paraná: Guilherme Dhionei Rocha, Augusto Alencar e Francisco Bressan.
Três anos depois, em 2014, veio a segunda geração com mais de 20 jovens, disputando torneios internos e representando Toledo nos Jogos da Juventude. Ele teve como destaques os tenistas Lucas Francener, Isandro Pereira, Vitor Campos, Leonardo Gonçalves, Alex Marcelino e Matheus Gonçalves.
A terceira geração iniciou em 2017 com mais de 20 crianças, tendo seis já disputando torneios paranaenses infanto juvenis. Destacam-se os tenistas Mateus Sperafico, Guilherme Varaschin, Gustavo Tavares, Pedro Aguilar, Marcos Pereira e Gustavo Schuck. Já a quarta geração é atual.
INÍCIO – Adelson teve contato com o tênis na sua juventude. Com 16 anos – ano de 2000 – começou a trabalhar no tênis nas funções de boleiro, arrumador de quadras e serviços em gerais.
Já em 2003 foi para Marechal Cândido Rondon trabalhar na Academia Wild Tênis com o professor Cláudio Wild, que, segundo ele, lhe passou muito conhecimento e o transformou em professor. “Quase toda minha experiência e base do tênis veio desta parceria e a quem sou muito grato”, pondera Weyh.
Em 2004, Adelson fez um curso de professor da CBT no Rio de Janeiro adquirindo mais experiência que elevou seu nível técnico. Dois anos depois, 2006, o ex-boleiro iniciou estudos no curso de Educação Física na Unipar, que lhe prepararam para dar aulas para crianças e adultos.
Adelson Weyh comenta que teve a honra de treinar com o ex-profissional Marlon Oliveira, hoje professor em Florianópolis. Ele também foi auxiliar de professor na escolinha com Henrique Martins e nos dias atuais continuam treinando juntos nos finais de semana. Weyh também treinou o rondonense Thiago Wild (segundo melhor jogador do Brasil e 114º no ranking mundial) dos 5 aos 9 anos.
RETORNO – Em 2010, após concluir curso de Educação Física Adelson retornou à Toledo. No entanto, surgiu um desafio na vida do ex-boleiro canhoto, pois naquele ano não desempenhou atividades no tênis. Primeiro se aventurou durante alguns meses como servente de pedreiro com seu pai e, logo depois, por quatro meses no setor de sólidos na função de preparo da empresa Prati Donaduzzi.
Mas em abril de 2011, tudo mudou na vida do professor, pois foi contratado como professor de tênis no Yara Country Clube, onde permanece até hoje. Ele conta orgulhoso, que voltou a sua ‘antiga casa’ dessa vez como treinador e não mais como boleiro. “Eu sempre trabalhei muito para conseguir tudo que alcancei em minha”, finaliza o técnico.
TÉCNICO DO MUNICÍPIO - Com destaque na modalidade, Adelson foi convidado há sete anos ser técnico de tênis do município de Toledo e nesse período disputou várias edições de Jogos Abertos do Paraná (JAPs) e da Juventude do Paraná (JOJUPs).
COMPETIDOR - Adelson conta que aprecia muito competir em torneios municipais, regionais e paranaenses, sendo que os melhores resultados de sua carreira foram em 2019, vencendo vários torneios Paranaenses. Com os resultados positivo, Weyh chegou conquistou o 1⁰ lugar no Ranking na Categoria 2MB. “Foi minha melhor fase em torneios Paranaenses. Entretanto, devido a uma lesão muscular não consegui jogar os últimos dois torneios e encerrei na 3ª colocação no referido ranking”.
“TÊNIS UM ESPORTE PARA TODOS”.
 
 
BOX
Melhores resultados:
- JAPS - medalha de prata em Apucarana, 2017. Em destaque, Fernando Ristow, Guilherme Zago e Adelson Weyh.
- JAPS - medalha de bronze, em Londrina 2018. Em destaque, Fernando Ristow, André Maciel, Felipe Ramos, Guilherme Dhionei e Emerson Jerônimo.
- JAPs – Os jogos foram disputados em Toledo em 2019 e subimos novamente no pódio com medalha de bronze no Masculino e 4⁰ lugar no naipe feminino. Em destaque Moacir Santos, Guilherme Zago, Lucas Dezem, Guilherme Dhionei (equipe masculina) e Joelma Lóh, Julie Grotto e Adriana (equipe feminina).
- JOJUPs – a melhor colocação foi a quarta colocação.
<    1     >
Ícone Notícia Últimas Notícias
Academia celebra 6ª quadra de saibro e abertura do Break Point Bar
Academia celebra 6ª quadra de saibro e abertura do Break Point Bar
CASAL DE TENISTA - Gustavo e Sabrina
CASAL DE TENISTA - Gustavo e Sabrina
Dia 9 de junho é Dia do Tenista
Dia 9 de junho é Dia do Tenista